O papel do professor na vida dos alunos: profeta que pode reescrever o futuro na escola!



A tragédia na EM Tasso da Silveira, no Rio, que abalou profundamente nosso país, me trouxe a uma reflexão profunda sobre o meu papel enquanto educadora; sobre quem eu sou como professora e sobre quem eu quero ser daqui para frente.
Fez-me questionar se eu tenho a visão crítica e sensibilidade suficientes para olhar meu aluno muito mais do que um mero espectador daquilo que eu faço em sala de aula. 
Será se como professoras e professores também podemos mudar destinos?
Será se estamos dedicando tempo realmente para a tão falada "formação integral"?
Será que conhecemos nossos alunos a ponto de perceber suas fragilidades emocionais e direcionar uma EDUCAÇÃO COMPLETA e necessária para elaborar neles um compromisso ético em sociedade?
Não estou dizendo que um professor é um "profeta milagreiro", mas somos sim de certa forma profetas pois, se atentos formos, se paramos para olharmos mais nos olhos dos nossos alunos, se buscarmos ouvir aqueles que falam com seu silêncio, se tentarmos buscar as origens deles - e aqui me refiro ao relacionamento em família - quem sabe, poderemos "prever" se um aluno é ou não alguém que pode vir a ser um vilão em potencial!
Não somos salvadores do mundo, eu sei!Mas temos autoridade para fazer com que nossas crianças sejam salvas da reprodução do mal em sociedade!

Hoje, estou triste...doída por aquelas crianças que se foram de forma tão brutal; crianças essas que se sentiam em um ambiente seguro que é, e deve ser, a Escola!
Aqueles alunos perderam a vida em um lugar onde eles iam para serem preparados para a própria vida!!!
A Escola é um lugar de futuro planejado e não de futuro interrompido!E quando falo futuro, refiro-me a vida física, social, emocional, comportamental. Digo que lá é lugar de reacender a chama das nossas crianças, a auto-estima, os sonhos, uma nova realidade!Dessa forma é que digo, ser professor é ser profeta!É estar comprometido com o futuro das nossas crianças!É ver e determinar com a nossa prática um futuro diferente, não somente para aqueles que são vítimas em potencial, mas também, tentar "prever" e reverter a história de um vilão em potencial.

No caso daquele assassino, a escola talvez significasse um lugar de morte!Será se aquele ex-aluno existia mesmo naquele lugar?E quantos vilões em potencial temos dentro das nossas escolas?Com quantas crianças convivemos dia após dia e não sabemos por quais conflitos, lutas, dores, anseios, traumas estão passando... e eles estão lá, assistindo a tudo que falamos. Me perguntei hoje, por que ele não procurou outro lugar?Por que foi justo a escola onde ele "trocou" experiências - se é que podemos dizer que existia essa troca entre ele e outras pessoas?

Assisti a uma matéria, das inúmeras que já assisti hoje sobre o assunto, e ouvi alguém dizendo que é impossível prever esse tipo de tragédia, pois nunca no Brasil convivemos com isso!De fato, numa perspectiva de segurança pública ou policial, pode até ser impossível!Mas, e em uma perspectiva educacional?É possível conhecer um aluno e buscar alternativas junto aos profissionais responsáveis por tratamento ou prevenção?

Sim professores, somos profetas!Somos sim salvadores!Eu creio nessa missão!Eu creio que a Escola é um lugar de vida e não de morte (física, emocional...futuro)!Eu creio que de forma comprometida podemos intervir na vida daqueles alunos cujos olhos perderam o brilho e podemos ao menos tentar apontar novas perspectivas, ou alternativas de cura intelectual, social, emocional!

A dor daquela tragédia me fez refletir muito!E sei que muitos professores, assim como eu, choraram e repensaram sua missão na educação brasileira, que acredito nunca mais será a mesma depois do dia 07 de abril de 2011!

Bem amigos, obrigada por ler meu desabafo!E aos que concordam e aos que discordam, deixo um texto de um dos homens mais sábios que já existiu, Salomão: "Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças [...]". Eclesiastes 9.10a. Então, vamos dedicar nossas forças e desempenhar o melhor em prol de um futuro cheio de vida na escola brasileira!

Com carinho da 'Amiga da Pedagogia', Nathália Ferreira.

2 comentários:

Tia Lu disse...

Quero parabenizar você pela postagem... Refletir muito!
Creio nessa missão! Somos profetas! somos sim Salvadores!
sou estudante de pedagogia e começo a refletir sobre isso!

Mayara Rodrigues disse...

Oi Nathália! sou a esposa de Zandro... Puxa, q lindo seu blog, seu trabalho... fico lisonjeada por tê-la como minha "seguidora". já quis ser pedadoga (até me apaixonar perdidamente por moda. rsrs) mas continuo admirando demais a PEDAGOGIA.

Seu texto me fez lembrar de minha professora de Matemática do Fundamental...
Assim q meus pais se separaram (eu tinha 10 anos) fiquei bastante retraída (anti-social mesmooo) e esta professora "me notou" no meio de toda "gurizada" e me chamou pra conversar, me perguntou o q eu tinha... me disse coisas tão lindas... senti q eu EXISTIA.
Nem precisaria comentar q ela está guardadinha no meu coração, né?

E quanto à parceria: claro q aceito!! haha vou colocar seu link lá na parte: "A BLOGUEIRA AMA".

Virei sempre aqui, e ficarei no aguardo de suas visitas também.
Super bjo